Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

AuToCaRaVaNiStA

Portal AuToCaRaVaNiStA http://www.autocaravanista.pt Coordenador jbmendes

AuToCaRaVaNiStA

Portal AuToCaRaVaNiStA http://www.autocaravanista.pt Coordenador jbmendes

CENTUM CELLAS - BELMONTE - CASTELO BRANCO



Apontamento AuToCaRaVaNiStA:
Centum Cellas ou Torre de São Cornélio, é um edificio de origem Romana situado em Colmeal da Torre em Belmonte Distrito de Castelo Branco. Eventualmente seria uma especie de vila romana adaptada ao transito de pessoas animais e bens, para Bracara Augusta. Já que se refere a celeiros estábulos, estalagem, termas, oficinas etc.

             HISTÓRIA:
Centum Cellas, é a deturpação popular do termo latino Centum Cellae que se pode traduzir por "100 divisões" e que atesta da outrora imponência desta villa romana do Séc. I. Para termos uma ideia da sua grandiosidade, basta dizer que a área escavada da villa, se refere apenas à parte residencial. As restantes partes, como os celeiros, armazéns, estábulos, acomodações dos servos e as termas, foram já provavelmente destruídas. No que se refere às termas, a sua destruição é um dado adquirido e pode-se situar na década de 1940, quando relatos de habitantes que ali perto trabalhavam, dão conta do aparecimento de "muitos tijolos semelhantes a tijolo burro, que logo serviram para a construção de fornos de cozedura de pão".

Durante muito tempo um local de lendas e imaginário, Centum Cellas era afinal e de acordo com uma inscrição encontrada no local, a residência de um nobre romano com grande influência e poder económico chamado Caecilius, que aqui residia com a sua família e os seus servos.Os seus rendimentos provinham, para além da normal actividade agrícola, da extracção e comercialização de estanho, comercialização essa facilitada pela proximidade da estrada que ligava Bracara Augusta (Braga) a Emérita Augusta (Mérida), a capital da Lusitânia Romana.

Parcialmente destruída por um incêndio durante o Séc. III,o edifício teve de ser readaptado, embora continuasse a ser usado como residência. Só com o fim do domínio romano na Península Ibérica, em finais do Séc. IV é que Centum Cellas deixa de ser uma residência, tendo no entanto continuado a ser utilizado para outros fins pela população local.Durante o Séc. X ou XI, foi edificada nos limites da zona actualmente escavada, uma pequena capela junto à qual se cavaram algumas sepulturas.

Centum Cellas aparece depois como "Centocelas" em documentos a partir do Séc XII como sendo uma povoação cedida à Sé de Coimbra por D.Sancho I, tendo-lhe sido concedido foral em 1194 ou 1188 como sugerem alguns autores. Este foral apenas vigorou até 1199 pois D.Sancho I após acordo com o bispo de Coimbra, D.Pedro, o revogou, atribuindo foral à vizinha vila de Belmonte, por razões estratégicas. A este novo foral foram dados os limites estabelecidos para o foral de Centocelas.

Sendo progressivamente abandonado e a excelente pedra utilizada na sua construção, reaproveitada para outros fins, a antiga Villa foi a pouco e pouco perdendo a sua imponência, restando actualmente de pé apenas o seu núcleo que por coincidência é semelhante a uma torre.

Fonte: http://www.arqueobeira.net

Monumento Nacional por Dec.nº 14 425 DG 136 de 15 Outubro 1927 e afecto ao IPPAR desde 1 de Junho de 1992

Portal AuToCaRaVaNiStA:
www.autocaravanista.pt.vu - www.grupoautocaravanista.webs.com
Copyright AuToCaRaVaNiStA - by jbmendes

Comentar:

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.

Mais sobre mim

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Mais visitados

    Arquivo

    1. 2015
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    14. 2014
    15. J
    16. F
    17. M
    18. A
    19. M
    20. J
    21. J
    22. A
    23. S
    24. O
    25. N
    26. D
    27. 2013
    28. J
    29. F
    30. M
    31. A
    32. M
    33. J
    34. J
    35. A
    36. S
    37. O
    38. N
    39. D
    40. 2012
    41. J
    42. F
    43. M
    44. A
    45. M
    46. J
    47. J
    48. A
    49. S
    50. O
    51. N
    52. D
    53. 2011
    54. J
    55. F
    56. M
    57. A
    58. M
    59. J
    60. J
    61. A
    62. S
    63. O
    64. N
    65. D
    66. 2010
    67. J
    68. F
    69. M
    70. A
    71. M
    72. J
    73. J
    74. A
    75. S
    76. O
    77. N
    78. D
    79. 2009
    80. J
    81. F
    82. M
    83. A
    84. M
    85. J
    86. J
    87. A
    88. S
    89. O
    90. N
    91. D
    92. 2008
    93. J
    94. F
    95. M
    96. A
    97. M
    98. J
    99. J
    100. A
    101. S
    102. O
    103. N
    104. D
    105. 2007
    106. J
    107. F
    108. M
    109. A
    110. M
    111. J
    112. J
    113. A
    114. S
    115. O
    116. N
    117. D
    118. 2006
    119. J
    120. F
    121. M
    122. A
    123. M
    124. J
    125. J
    126. A
    127. S
    128. O
    129. N
    130. D